História

Quem Somos

Casal_STO.jpg

A STŌ nasceu em 2018, pelas mãos do casal Jorge Abreu e Claudia Almeida que, à primeira vista, pensaram em montar um pequeno negócio de croquete de alheiras. O projecto mudou, cresceu e, com muito amor e persistência, Jorge e Claudia levaram o sonho à frente. A ideia seria um espaço inspirado na própria casa e estilo de vida do casal que sempre cultivou a arte de receber bem, e, sobretudo, cultivar as boas relações. Uma mercearia que contasse "a história de Portugal através da comida”. Buscaram um nome que traduzisse esta essência. 

STŌ vem de estória. Uma experiência que vai além de um espaço gastronómico. É uma abordagem patriótica. Um mergulho na origem e na cultura de Portugal. Uma homenagem à Portugalidade deste país que revela tantos encantos.

Do pão massa-mãe aos diversos queijos, conservas, azeites e enchidos, há de tudo um pouco para comprar da mercearia ou saborear à mesa, como os croquetes de alheiras de Mirandela, os queijos premiados do Alentejo ou o gin produzido nos Açores. Tudo ali tem o selo 100% nacional. Antes de entrar na loja, Jorge e Claudia percebem a origem do produto e priorizam pequenos negócios e produtores que trabalham com matérias-primas locais e processos artesanais. 

E é neste ambiente, onde se fundem os sabores da tradição com um espaço moderno, que o casal distribui simpatia e atenção. A cada cliente que entra na STŌ, Jorge conta a estória que está por trás do prato, como uma espécie de viagem gastronómica, uma visita guiada pelas regiões do país. Nos pormenores, na escolha de cada item da decoração, na selecção dos produtos, nos pratos cozinhados e apresentados, com todo capricho e afecto, fica visível a adoração do casal por Portugal.

Este é o propósito de Jorge e Claudia com a STŌ; partilhar essa paixão pela Portugalidade com quem passa por ali. Esta Portugalidade que representa o melhor de Portugal e dos Portugueses; uma abertura ao mundo, uma universalidade de acolher cada um, independente da nacionalidade. Não só pela gastronomia, mas pela narrativa histórico e cultural. E por tanto que esta estória representa para eles.